quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Fiquem de olho...


Resolvi lançar uma categoria chamada "Fiquem de olho...", onde vou publicar todas as pesquisas, métodos revolucionários e medicamentos referentes ao tratamento da IRC que estão em andamento ou que já foram aprovados aqui e em outros países, isso para todos acompanharem como a medicina esta evoluindo e a cada ano que passa tem uma melhoria significativa em nosso tratamento.
Quem souber de alguma pesquisa e quiser colaborar, basta entrar em contato comigo.

Vou começar publicando a noticia de um medicamento que foi aprovado na União Européia, que ao contrario dos medicamentos imunossupressores que são usados atualmente, esse não possui efeitos colaterais graves, uma excelente noticia para os transplantados, espero que esse tratamento passe a valer aqui no Brasil o quanto antes. Nossa parte é se informar e solicitar para as organizações responsáveis que tratamentos como esse também se tornem validos aqui.

Nova droga imunossupressora evita rejeição de rim sem efeitos colaterais
Fármaco desenvolvido pela Medical University a partir do princípio ativo Belatacept recebeu autorização da União Europeia

Uma nova alternativa para o tratamento imunossupressor após o transplante renal está disponível no mercado e com a vantagem de não apresentar os efeitos colaterais graves. A Medical University of Vienna, na Áustria, estava envolvida no desenvolvimento clínico do ingrediente ativo Belatacept e uma formulação adequada recebeu agora autorização para ser utilizada em toda a União Europeia.
"Isso pode revolucionar o transplante renal e o tratamento", disse o diretor do departamento de cirurgia, Ferdinand Mühlbacher. Em vez de nove anos, um rim transplantado apoiado pelo uso de Belatacept pode durar 13 anos de acordo com estimativas conservadoras. "Eu estimo de 15 a 17 anos", disse Mühlbacher, um pouco mais otimista. Nove em cada 22 pacientes ainda estão envolvidos no estudo de longo prazo do cientista. Eles estão sendo tratados com a substância dez anos depois de um transplante. "As funções renais deles são excelentes", disse Mühlbacher.
A vantagem do bloqueador de co-estimulação Belatacept pode ser facilmente explicada, ele não tem quaisquer efeitos colaterais. Por quase 30 anos os inibidores de calcineurina têm sido utilizados para a suprimir ao longo da vida as reações indesejadas do sistema imunológico após transplantes de órgãos. Os possíveis efeitos colaterais como a pressão arterial elevada, o diabetes ou os distúrbios do metabolismo lipídico geralmente tinham de ser considerados. Mühlbacher disse que "agora temos uma substância que é proporcionalmente eficaz, não-tóxica, que não tem quaisquer efeitos colaterais, e que garante um melhor funcionamento dos órgãos". Com os transplantes há ainda um risco maior de câncer que, segundo Mühlbacher, é tão alto com o Betalacept quanto com os inibidores calcineurin.
Cerca de 420 transplantes são realizados no MedUni Viena a cada ano e 180 deles envolvem rins. "Nós não devemos, naturalmente, mudar agora todos os nossos pacientes para o novo medicamento, mas vamos considerar isto para os novos pacientes", disse Mühlbacher.

Nenhum comentário: