domingo, 23 de janeiro de 2011

Nefropatia Membranosa

Nomes alternativos:
Glomerulonefrite extramembranosa, glomerulonefrite membranosa, GN membranosa

Definição:
Distúrbio do rim resultando na interrupção das funções renais devido à inflamação dos glomérulos e alterações na membrana basal glomerular.
Causas, incidência e fatores de risco:

Os glomérulos são as estruturas internas do rim que incluem pequenos capilares cercados por membranas através das quais o sangue é filtrado para formar a urina. A nefropatia membranosa é causada pelo espessamento da parede dos capilares da membrana basal glomerular (a membrana mais profunda) por complexos imunes. A causa é desconhecida. É uma das causas mais comuns de síndrome nefrótica, que é a forma mais comum da doença. Pode também aparecer como uma excreção assintomática de proteína na urina. A taxa de filtração glomerular (a "velocidade" de purificação do sangue) geralmente situa-se próxima ao normal e o exame do sedimento na urina pode ser normal ou mostrar gorduras em forma oval e cilindros gordurosos granulares, hialinos.

A nefropatia membranosa pode ser uma doença renal primária de origem incerta, ou pode estar associada com outras condições. Os riscos incluem distúrbios sistêmicos tais como hepatite B, a malária, os tumores sólidos malignos, o linfoma não-Hodgkin, o lúpus eritematoso sistêmico, a sífilis e outros. Os riscos também incluem exposição a substâncias ou medicamentos, incluindo ouro e mercúrio, penicilamina, trimetadiona, cremes para clarear a pele e outros.

O distúrbio ocorre em aproximadamente em 2 entre cada 10.000 pessoas. Também ocorre em qualquer idade mas é mais comum em pessoas com mais de 40 anos.

Sintomas:
    * edema (inchaço) em qualquer área do corpo, podendo ser generalizado
    * urina de aparência espumosa
    * ganho de peso (por retenção de líquidos)
    * perda de apetite
    * micção excessiva à noite
    * pressão sangüínea alta

Obs.: os sintomas variam e pode não haver nenhum sintoma, em alguns casos.

Sinais e exames:

Um exame pode não ser específico exceto para o edema. O exame de urina tipo I pode revelar proteína na urina e/ou sangue na urina (hematúria). A albumina sérica pode estar baixa. Os níveis de lipídeos no sangue podem aumentar. A biópsia do rim confirma o diagnóstico de nefropatia membranosa.

Tratamento:
O objetivo do tratamento é minimizar os sintomas e retardar a progressão da doença. Os sintomas podem ser tratados de diferentes formas. Os medicamentos variam. Freqüentemente, corticosteróides ou imunossupressores podem ser usados para reduzir os sintomas e a progressão do distúrbio, com resultados variados. Os medicamentos para tratar os sintomas podem incluir anti-hipertensivos e medicamentos diuréticos. Pode haver necessidade de antibióticos para controlar as infecções.

O tratamento do colesterol alto no sangue e dos triglicérides é recomendado para reduzir o aparecimento da aterosclerose secundária a uma síndrome nefrótica. A limitação na dieta de colesterol e gorduras saturadas pode ter efeito apenas limitado se os altos níveis de colesterol e triglicérides forem causados por superprodução por parte do fígado e não por ingestão excessiva de gorduras. Podem ser recomendados medicamentos para redução do colesterol e dos triglicérides.

As dietas altas em proteínas são de valores contestáveis. Em muitos pacientes, a redução do volume de proteína na dieta produz a diminuição da proteína na urina . Em muitos casos, uma dieta moderada em proteínas (1 grama de proteína por quilograma de peso corporal por dia) é geralmente recomendada. O sódio na dieta (sal) pode ser restringido para ajudar a controlar o edema. Pode haver necessidade de reposição de vitamina D se a síndrome nefrótica for crônica e não responder à terapia.

Expectativas (prognóstico):
As remissões e exacerbações podem ocorrem com ou sem terapia. O curso do distúrbio é muito variável. Remissão espontânea é possível, assim como os cursos variáveis das remissões (períodos sem sintomas) e episódios sintomáticos agudos. Entre 70 a 90% dos pacientes terão algum grau de danos aos rins irreversíveis dentro de 2 a 20 anos, com cerca de 20% progredindo para doença renal em estágio final.

Complicações:
    * síndrome nefrótica
    * insuficiência renal crônica
    * doença renal em estágio final
    * incidência aumentada de trombose na veia renal

Solicitação de assistência médica:
Marque uma consulta com seu médico se aparecerem sintomas que sugerem a presença de nefropatia membranosa, ou se os sintomas piorarem ou forem persistentes, se houver diminuição na produção de urina ou se aparecerem novos sintomas.

Prevenção:
O pronto tratamento dos distúrbios associados e evitar substâncias associadas pode reduzir o risco. 

Nenhum comentário: