segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Longa estrada...


N
as ultimas
semanas eu enfrentei uma maré de azar que baixou muito minha bola. Tentei fazer um exame que não deu certo por que me informaram errado o local, senti muitas dores no dia, pois fui obrigada andar muito, o que me levou a uma crise nervosa que abalou todo mundo em casa. Eu acabei conseguindo fazer o exame, ou seja, estressei a toa. O cartão do meu banco foi bloqueado sem motivo algum, e para desbloquear eu preciso ir pessoalmente a agencia, e ela não é próxima de casa. Dias depois uma tempestade feia caiu e um raio atingiu a residência do vizinho, mas o raio acabou afetando aqui também e acabei perdendo equipamentos que são vitais para eu trabalhar (trabalho em casa, pois não consigo sair para trabalhar fora), isso também me frustrou muito e foi mais uma semana com uma crise nervosa terrível, que depois graças ao meu irmão e ao Kah, tudo normalizou, só não fiquei 100% feliz, pois não queria depender de ninguém para resolver minhas coisas, mas uma mão lava a outra, um dia você planta, no dia seguinte o outro colhe, rsrs, brincadeira, nós mesmos colhemos o que plantamos.
Eu preciso aprender a ter paciência e não me abalar na primeira pancada que eu levo e mesmo que eu leve muitas pancadas seguidas, se eu ainda posso me levantar depois delas, porque eu vou reclamar? Pior seria se eu só apanhasse e continuasse no chão, rsrsrs

Na clinica as coisas estão interessantes, apesar de às vezes me assustar, pois nunca vi tanta gente passando mal do jeito que esta acontecendo ultimamente, meu box com certeza é o mais animado. Eu fiz um "tour" em outros boxes quando minha maquina quebrou e eu fui obrigada e ir vagando pela clinica onde havia maquina disponível, e percebi que só meu box é barulhento, hahaha, o resto só dorme, acho que meu box é barulhento graças ao Sr. N. que não deixa ninguém dormir, mas apesar dos escândalos e dos papos mórbidos dele, eu adoro ter ele por lá, tanto que quando ele não aparece a diálise fica triste.
Quando o Sr. O. faleceu eu pensei que iriam colocar a C. de volta no box, pois sempre via ela quieta no box ao lado e como tinha vaga no meu, pensei que ela voltaria, mas como ela estava ficando internada o tempo todo, a vaga foi para uma senhora que começou recentemente a diálise. Ela como qualquer paciente no começo esta cheia de dúvidas, eu estou fazendo mais ou menos o que a C. fazia quando eu comecei, conversando bastante, dando informações basicas, ensinando alguns macetes, rsrs, e ajudando ela mesmo que com palavras eu estou me sentindo tão útil, pois conversamos bastante com ela, (eu e todos do box), explicamos tudo o que sabemos, damos dicas, animamos  e incentivamos ela para seguir a vida normalmente, e eu vejo que o quadro dela esta evoluindo, que aos poucos ela vai se adaptar, assim como acontece com todo mundo. Eu a vejo e lembro como eu era, uma pessoa cheia de incertezas, morrendo de medo de comer qualquer coisa, querendo saber tudo de uma só vez e ao mesmo tempo uma tristeza lá no fundo dos olhos que por mais que as pessoas digam que vai passar essa tristeza ainda insiste em ficar.
Espero continuar ajudando ela com palavras, pois é a única coisa que posso fazer por lá, e vai ser lindo quando ela começar a se sentir mais à vontade na diálise, ela nem deita a cadeira ainda, fica a diálise toda sentadinha e se não esta conversando fica com o olhar distante.
Do lado de fora da clinica umas duas senhoras já me pararam para pedir ajuda e conselhos de como lidar com seus maridos doentes, de como conversar com os médicos, o que elas tinham que fazer, etc, estou gostando de ajudar e isso que faz a hemodiálise não ser algo ruim, eu só quero voltar a andar normalmente para seguir com minha vida.


Eu estou incomodada com alguns fatores como meu peso, com a volta da queda do cabelo, minha pele, entre outros detalhezinhos, mas vou priorizar minhas pernas no momento, a estrada é longa, mas eu avanço :)

3 comentários:

JULIO CESAR DE OLIVEIRA MAFRA disse...

Ola Ana Paula, tudo bem meu nome é JULIO CESAR DE OLIVEIRA MAFRA, faço hemodialise a 17 anos em Sertãozinho SP. Estava lendo seu blog é interessante ver que em outras regiões nossos tratamentos são um poucos diferentes, mas vejo q a cirurgia da paratireoide é bastante dficil de ser feita em alguns lugares devido ao pós-operatorio ser um pouco complexo.
Deixa eu compartilhar um pouco da minha vida com você. Hoje eu tenho 27 anos tb, comecei aos 11 anos, sempre tive problema renal. Já sabia que com o tempo teria que fazer um tratamento de hemodialise. Tenho a doença sindrome de prunne-belly- é uma deformação e má formação do canal da bexiga e ureteres. Então aos 10 anos fiz a fistula e esperei com tranquilidade ate meus exames ficarem numa situação que não poderia mais esperar e assim começar fazer hemodialise. Foi bem tranquilo pra mim porque já estava preparado pscoligicamente e nunca coloquei cateter. Só por isso já é muito bom né Paula? Com o passar dos anos eu precisei retirar os 2 rins devidos a infecções constantes. A 6 anos atras fiz a cirurgia da paratireoide, não consegui andar de dor, tinha muita anemia e uma series de coisas. Foi a epoca mais dificil da minha vida. Mas depois da cirirgia dois dias depois internado quando percebi q não tinha mais dor, nossa foi o dia mais feliz que ja tive. Podia comer muita coisa com fosforo, não precisava mais tomar renalgel, carbonato de calcio, nada. Somente tinha q tomar calcitriol para reforçar os ossos. Comecei a engordar minha anemia melhorou, a fazer exercicios, brincava, pulava e tudo mais. Hoje eu trabalho a 4 anos numa empresa, sou gerente de supermercados, trabalho das 12:00 as 22:00 da noite de segunda a segunda 1 folga por semana. É puxado mas tudo bem faço hemo de manha das 6:00 as 10:00. Acho que depende muito da nossa cabeça, do que nos queremos e hoje entendo muito sobre o meu tratamento a maquina o sistema de banho, capilar, medicamento, tratamento, alimentação tanto q dou palestras de hemodialise para novos pacientes. Tenho certeza que você quando fizer a cirurgia da paratireoide se sentira muito melhor e disposta. Sobre as coisas que falam a respeito das consequencias é verdade, mas em vez de escutar tente melhorar, cobre do medico para fazer logo a cirurgia, faça a alimentação correta é dificil e depois quando estiver bem, trabalhe porque foi a forma de minha qualidade de vida melhorar muito, fisicamente e psicologicamente. Se voce quiser me conhecer entre no meu myspace só digitar no google JULIO CESAR DE OLIVEIRA MAFRA. Até mais Abraços e tudo de bom pra você.

Ana P disse...

Julio, vou responder seu comentaria com muito carinho em breve, é que ando desanimada, mas assim que as coisas melhorarem eu entro em contato, pois gosto de me dedicar da forma correta, e toda sua atenção comigo, relatando seu caso, merece o meu maior carinho. Fica com Deus.

JULIO CESAR DE OLIVEIRA MAFRA disse...

Obrigado espero que você melhore logo e obrigado pelo carinho por ter respondido, to torcendo pela sua vitoria e não fique desaminada não vai da tudo certo ta. Sei que é dificil mas pra tudo tem um jeito graças a Deus ta dando certo pra mim. BEIJOS FORTE ABRAÇO.