terça-feira, 28 de setembro de 2010

10 meses...

E mais um mês vai embora...
Não aconteceu muita coisa diferente.

A novidade foi uma injeção (Diprospan), receitada pelo medico, que reduziu muito minhas dores nos joelhos e calcanhares.

Estou para fazer um Ultrasom e uma Cintilografia da Paratireóide, para dar inicio ao tratamento do PTH, tratamento no qual vai ser definido mediante o resultado desses exames.

Coloquei no papel alguns projetos pessoais para esse blog, mas que por enquanto vão ficar só no papel, já que o objetivo é trabalhar bastante, pois IRC consome muito $$$.

Desenhei uma capa para a cadeira da hemodiálise, pois as que normalmente vendem por aí, não atendem alguns pontos que acho importante, tanto para segurança, quanto para o conforto. Assim que sobrar uma grana eu procuro uma costureira para fazer a capa e coloco o resultado aqui.

Preciso deixar registrado aqui meu agradecimento a minha tia, que fez um tapete para colocar no meu quarto, muito útil, pois eu sempre que saio da cama vou direto com os pés no chão gelado, e com o tapete isso não acontece mais :)

Ah, mais uma vez o chefe e colegas de trabalho do meu irmão foram compreensíveis, e permitiram que ele entrasse mais tarde para me acompanhar na hemodiálise, já que o Sr. Nelson não pode me levar essa semana.

O que seria de nossas vidas se não existissem outras pessoas a nossa volta? Eu agradeço todos os dias por todas as pessoas que me ajudam direta ou indiretamente. Eu sempre vejo a diferença que faz você ter e você não ter apoio. Muitos pacientes são "jogados" na clinica pelos familiares, que não se importam com a situação frágil que a pessoa se encontra, e não digo somente pela fragilidade física, mas sim pela fragilidade emocional, se todos os familiares se conscientizassem de que uma mão no ombro as vezes é mais importante que 200 remédios, que um carinho, uma atenção poderiam fazer com que os tratamentos fossem mais fáceis, pois muitos problemas são maximizados ou até mesmo criados pela cabeça, mas uma pessoa com carinho, com atenção, com o cuidado das pessoas a sua volta não vai ficar colocando minhoca na cabeça. Eu nem preciso conversar com todos os pacientes da clinica para saber quem esta bem ou não. Todos no qual eu vejo a família amparando, sempre do lado, esses saem da clinica com um brilho diferente dos olhos, em compensação, aqueles que estão sempre sozinhos, sempre são os que passam mal antes, durante e depois da diálise.

Mudando de assunto...
Como ontem foi dia do doador de órgão e eu não postei nada, deixo aqui meu agradecimento a todos que tiveram essa atitude altruísta com alguém, a pessoa para fazer uma doação desse tipo em vida, deve ser uma pessoa muito desprendida e muito iluminada, a vocês eu desejo muita saúde, muita alegria, muita luz e muitas realizações. Agradeço também os familiares que em um momento difícil tiveram que decidir se doaria ou não os órgãos de um ente querido, imagino que não é fácil tomar uma decisão tão importante em uma hora como essa, mas muitos ultrapassam essa dor, e transformam a dor em um gesto nobre, minha admiração e meu respeito a todos os familiares que já passaram por isso.

Eu desde pequena, acho que tinha uns onze ou doze anos, tenho guardado comigo um texto,  que sempre me lembra que por mais que eu queira fazer as coisas sozinhas, ninguém é ou consegue ser sozinho, não lembro onde li a primeira vez, ou quem escreveu, mas vou deixar aqui para que quiser ler.

Ninguém
Ninguem é tão pequeno
que não tenha nada para dar.
e nem tão poderoso
Que não tenha nada a receber
Ninguem é tão fraco
que nunca tenha vencido
Niguem é tão forte
que nunca tenha chorado
Ninguem é tao alto suficiente
para nunca ser ajudado
Ninguem é tão invalido
que nunca tenha contribuido
Ninguem é tão sábio,
que nunca tenha errado
Ninguem é tão corajoso
que nunca teve medo
Ninguem é tão medroso
que nunca teve coragem
NINGUÉM É TÃO NINGUÉM
QUE NUNCA PRECISOU DE ALGUEM.
 
Minha mente atualmente esta normal.
Meu físico atualmente esta melhorando (redução na dor nas costas, joelhos, calcanhar, o braço não dói mais).

Um comentário:

Ministério disse...

Olá, blogueiro,
Salvar vidas por meio da palavra. Isso é possível.
Participe da Campanha Nacional de Doação de Órgãos. Divulgue a importância do ato de doar. Para ser doador de órgãos, basta conversar com sua família e deixar clara a sua vontade. Não é preciso deixar nada por escrito, em nenhum documento.
Acesse www.doevida.com.br e saiba mais.
Para obter material de divulgação, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br
Atenciosamente, Ministério da Saúde
Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude