terça-feira, 28 de setembro de 2010

10 meses...

E mais um mês vai embora...
Não aconteceu muita coisa diferente.

A novidade foi uma injeção (Diprospan), receitada pelo medico, que reduziu muito minhas dores nos joelhos e calcanhares.

Estou para fazer um Ultrasom e uma Cintilografia da Paratireóide, para dar inicio ao tratamento do PTH, tratamento no qual vai ser definido mediante o resultado desses exames.

Coloquei no papel alguns projetos pessoais para esse blog, mas que por enquanto vão ficar só no papel, já que o objetivo é trabalhar bastante, pois IRC consome muito $$$.

Desenhei uma capa para a cadeira da hemodiálise, pois as que normalmente vendem por aí, não atendem alguns pontos que acho importante, tanto para segurança, quanto para o conforto. Assim que sobrar uma grana eu procuro uma costureira para fazer a capa e coloco o resultado aqui.

Preciso deixar registrado aqui meu agradecimento a minha tia, que fez um tapete para colocar no meu quarto, muito útil, pois eu sempre que saio da cama vou direto com os pés no chão gelado, e com o tapete isso não acontece mais :)

Ah, mais uma vez o chefe e colegas de trabalho do meu irmão foram compreensíveis, e permitiram que ele entrasse mais tarde para me acompanhar na hemodiálise, já que o Sr. Nelson não pode me levar essa semana.

O que seria de nossas vidas se não existissem outras pessoas a nossa volta? Eu agradeço todos os dias por todas as pessoas que me ajudam direta ou indiretamente. Eu sempre vejo a diferença que faz você ter e você não ter apoio. Muitos pacientes são "jogados" na clinica pelos familiares, que não se importam com a situação frágil que a pessoa se encontra, e não digo somente pela fragilidade física, mas sim pela fragilidade emocional, se todos os familiares se conscientizassem de que uma mão no ombro as vezes é mais importante que 200 remédios, que um carinho, uma atenção poderiam fazer com que os tratamentos fossem mais fáceis, pois muitos problemas são maximizados ou até mesmo criados pela cabeça, mas uma pessoa com carinho, com atenção, com o cuidado das pessoas a sua volta não vai ficar colocando minhoca na cabeça. Eu nem preciso conversar com todos os pacientes da clinica para saber quem esta bem ou não. Todos no qual eu vejo a família amparando, sempre do lado, esses saem da clinica com um brilho diferente dos olhos, em compensação, aqueles que estão sempre sozinhos, sempre são os que passam mal antes, durante e depois da diálise.

Mudando de assunto...
Como ontem foi dia do doador de órgão e eu não postei nada, deixo aqui meu agradecimento a todos que tiveram essa atitude altruísta com alguém, a pessoa para fazer uma doação desse tipo em vida, deve ser uma pessoa muito desprendida e muito iluminada, a vocês eu desejo muita saúde, muita alegria, muita luz e muitas realizações. Agradeço também os familiares que em um momento difícil tiveram que decidir se doaria ou não os órgãos de um ente querido, imagino que não é fácil tomar uma decisão tão importante em uma hora como essa, mas muitos ultrapassam essa dor, e transformam a dor em um gesto nobre, minha admiração e meu respeito a todos os familiares que já passaram por isso.

Eu desde pequena, acho que tinha uns onze ou doze anos, tenho guardado comigo um texto,  que sempre me lembra que por mais que eu queira fazer as coisas sozinhas, ninguém é ou consegue ser sozinho, não lembro onde li a primeira vez, ou quem escreveu, mas vou deixar aqui para que quiser ler.

Ninguém
Ninguem é tão pequeno
que não tenha nada para dar.
e nem tão poderoso
Que não tenha nada a receber
Ninguem é tão fraco
que nunca tenha vencido
Niguem é tão forte
que nunca tenha chorado
Ninguem é tao alto suficiente
para nunca ser ajudado
Ninguem é tão invalido
que nunca tenha contribuido
Ninguem é tão sábio,
que nunca tenha errado
Ninguem é tão corajoso
que nunca teve medo
Ninguem é tão medroso
que nunca teve coragem
NINGUÉM É TÃO NINGUÉM
QUE NUNCA PRECISOU DE ALGUEM.
 
Minha mente atualmente esta normal.
Meu físico atualmente esta melhorando (redução na dor nas costas, joelhos, calcanhar, o braço não dói mais).

10 meses...

E mais um mês vai embora...
Não aconteceu muita coisa diferente.

A novidade foi uma injeção (Diprospan), receitada pelo medico, que reduziu muito minhas dores nos joelhos e calcanhares.

Estou para fazer um Ultrasom e uma Cintilografia da Paratireóide, para dar inicio ao tratamento do PTH, tratamento no qual vai ser definido mediante o resultado desses exames.

Coloquei no papel alguns projetos pessoais para esse blog, mas que por enquanto vão ficar só no papel, já que o objetivo é trabalhar bastante, pois IRC consome muito $$$.

Desenhei uma capa para a cadeira da hemodiálise, pois as que normalmente vendem por aí, não atendem alguns pontos que acho importante, tanto para segurança, quanto para o conforto. Assim que sobrar uma grana eu procuro uma costureira para fazer a capa e coloco o resultado aqui.

Preciso deixar registrado aqui meu agradecimento a minha tia, que fez um tapete para colocar no meu quarto, muito útil, pois eu sempre que saio da cama vou direto com os pés no chão gelado, e com o tapete isso não acontece mais :)

Ah, mais uma vez o chefe e colegas de trabalho do meu irmão foram compreensíveis, e permitiram que ele entrasse mais tarde para me acompanhar na hemodiálise, já que o Sr. Nelson não pode me levar essa semana.

O que seria de nossas vidas se não existissem outras pessoas a nossa volta? Eu agradeço todos os dias por todas as pessoas que me ajudam direta ou indiretamente. Eu sempre vejo a diferença que faz você ter e você não ter apoio. Muitos pacientes são "jogados" na clinica pelos familiares, que não se importam com a situação frágil que a pessoa se encontra, e não digo somente pela fragilidade física, mas sim pela fragilidade emocional, se todos os familiares se conscientizassem de que uma mão no ombro as vezes é mais importante que 200 remédios, que um carinho, uma atenção poderiam fazer com que os tratamentos fossem mais fáceis, pois muitos problemas são maximizados ou até mesmo criados pela cabeça, mas uma pessoa com carinho, com atenção, com o cuidado das pessoas a sua volta não vai ficar colocando minhoca na cabeça. Eu nem preciso conversar com todos os pacientes da clinica para saber quem esta bem ou não. Todos no qual eu vejo a família amparando, sempre do lado, esses saem da clinica com um brilho diferente dos olhos, em compensação, aqueles que estão sempre sozinhos, sempre são os que passam mal antes, durante e depois da diálise.

Mudando de assunto...
Como ontem foi dia do doador de órgão e eu não postei nada, deixo aqui meu agradecimento a todos que tiveram essa atitude altruísta com alguém, a pessoa para fazer uma doação desse tipo em vida, deve ser uma pessoa muito desprendida e muito iluminada, a vocês eu desejo muita saúde, muita alegria, muita luz e muitas realizações. Agradeço também os familiares que em um momento difícil tiveram que decidir se doaria ou não os órgãos de um ente querido, imagino que não é fácil tomar uma decisão tão importante em uma hora como essa, mas muitos ultrapassam essa dor, e transformam a dor em um gesto nobre, minha admiração e meu respeito a todos os familiares que já passaram por isso.

Eu desde pequena, acho que tinha uns onze ou doze anos, tenho guardado comigo um texto,  que sempre me lembra que por mais que eu queira fazer as coisas sozinhas, ninguém é ou consegue ser sozinho, não lembro onde li a primeira vez, ou quem escreveu, mas vou deixar aqui para que quiser ler.

Ninguém
Ninguem é tão pequeno
que não tenha nada para dar.
e nem tão poderoso
Que não tenha nada a receber
Ninguem é tão fraco
que nunca tenha vencido
Niguem é tão forte
que nunca tenha chorado
Ninguem é tao alto suficiente
para nunca ser ajudado
Ninguem é tão invalido
que nunca tenha contribuido
Ninguem é tão sábio,
que nunca tenha errado
Ninguem é tão corajoso
que nunca teve medo
Ninguem é tão medroso
que nunca teve coragem
NINGUÉM É TÃO NINGUÉM
QUE NUNCA PRECISOU DE ALGUEM.
 
Minha mente atualmente esta normal.
Meu físico atualmente esta melhorando (redução na dor nas costas, joelhos, calcanhar, o braço não dói mais).

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Vou contar uma historia...

A historia de uma menina, que há mais de dois anos, caiu da escada de sua casa, bateu as costas na quina do degrau, e apesar da dor, levantou e sem querer ir ao medico, foi para seu quarto, deitou para dormir, achando que no dia seguinte a dor iria embora.
Os dias foram passando, e a dor, ao invés de diminuir, aumentava. O que era uma dor aguda na região lombar foi descendo para as pernas.
O medo de agulha foi impedindo que a menina fosse procurar o médico, pois ela tinha certeza que receberia uma injeção para dor, e ficaria por isso mesmo. Então seguia otimista, ainda acreditando que a dor um dia passaria.
Depois de mais ou menos seis meses, como a dor não a abandonava, ela resolveu procurar um medico, e o que ela havia previsto aconteceu, foi atendida com frieza e descaso, levou uma injeção, e foi dispensada para casa, sem ter feito qualquer exame.
Passou mais algumas semanas, e a dor persistia, tentou novamente outro medico, com o mesmo atendimento artificial, a mesma ladainha e a mesma medicação. De duas consultas, pulou para mais de 10, sem nenhum diagnostico, apenas voltava para casa com uma receita de um antiinflamatório diferente, no qual, nenhum eliminava a dor.
Os seis meses viraram dois anos, a contagem de consultas mal sucedidas havia até se perdido, pois foram muitas, até que um dia, um médico no olhometro identificou uma anemia severa, pediu um exame de sangue simples e BUM, quando a menina percebeu, estava dentro de um carro, com sua mãe ao lado, indo para um hospital.
Os rins da menina já estavam atrofiados, foi para a hemodiálise, mas as dores ainda persistiam e com o passar dos meses, os movimentos dela começaram a se limitar, andar mais de 10 minutos viraria um martírio, dormir mais de 5 horas também.
Depois de nove meses fazendo hemodiálise, os médicos chegaram à conclusão, de que o problema dessa menina era o alto nível de PTH, o que eles não entendiam, era o PTH estar com mais de 1300 e o nível de cálcio estar sempre dentro do normal.
A menina que provavelmente perdeu seus rins ao menos dois anos atrás, conseguia sobreviver com a Uréia e Creatinina alta, e se não fosse o PTH talvez nem desconfiasse de que os rins haviam parado.
Seus exames como potássio e fósforo sempre foram normais, excluindo o fósforo que após a hemodiálise foi alterado devido ao Calcitriol, mas que já esta normal novamente.
Hoje a menina esta assim, andando muito pouco, dormindo muito pouco, produzindo muito pouco.
Uma menina que hoje tem 27 anos, que poderia estar trabalhando, ajudando a família, continuando seu trabalho como voluntária como fazia antes de se sentir mal, enfim, conquistando suas coisas, agora esta limitada, fazendo sempre pouco e dependendo de favores. Aguardando por um medico que se interesse pelo seu caso e investigue afinal o que aconteceu e como resolver.

Essa menina sou eu. Essa historia, é a minha.

Linha do tempo:
- Há uns 5/6 anos, fui diagnosticada com rosácea na pele, fiquei tão louca para melhorar, que tentei vários tratamentos (todos indicados por dermatologistas e nenhum ao mesmo tempo), primeiramente tentei loções no rosto o que nada adiantou, depois fiz um tratamento de oito meses com Roacutan, o que ajudou, mas não muito, nessa época, fazia exame de sangue mensal, e a única coisa que aparecia um pouco (bem pouco) alterada era o colesterol. Depois desse tratamento, fiquei mais uns sete meses tomando Minociclina, até que ajudou um pouco, mas a melhora estagnou e eu parei de tomar.
- Alguns meses depois, extrai os dentes do siso (foram os quatro, dois em cada vez em um intervado de 15 dias), pois sentia uma dor horrível nos dentes do fundo, mas depois de um tempo a dor continuou.
- Cai da escada, e foi quando as dores lombares apareceram.
- Meu pai, na mesma época que cai da escada, operou o coração, quando vi  ele saindo da sala de cirurgia, entrei em choque emocional, a partir daí as dores lombares aumentaram.
- A solução para dor de dente foi o tratamento de canal, no qual o dentista resolveu fazer, mesmo sem ter identificado o problema no dente, já que o mesmo parecia saudável. A dor era tão forte no dente, que eu batia a cabeça na parede, pois enlouquecia. Ao tomar a anestesia, eu sentia certa fraqueza no corpo, mas que passava rápido, não achei nada muito grave, então não comentei com o dentista. Pensava que a fraqueza na verdade era o medo de agulha que desde pequena tinha.
- Meses após o tratamento de canal, meus movimentos começaram a ficar limitados, andava pouco, pois sentia dores nos calcanhares.
- Me entupi de antiinflamatório, dado pelos médicos em cada consulta que passava. 
- Na ressonância magnética que fiz da coluna lombar, acusou apenas protusões.

Agora deixo algumas perguntas:
Perdi meus rins pelos remédios para rosácea?
Perdi meus rins pela anestesia que levei do dentista?
Perdi meus rins por ter caído da escada?
Perdi meus rins pelo choque emocional, ao ver meu pai entubado?
Perdi meus rins devido aos antiinflamatórios?
Aos meus 15 anos, fui diagnosticada com hipotireoidismo, e até 2006 (quando fiz o ultimo exame que lembro) os resultados estavam acusando o hipotireoidismo, esse ano, já fiz 4 vezes e acusou normal, o que isso significa?
Por que o PTH esta tão elevada e o cálcio normal? Eu sentiria esse tipo de dor, somente pelo PTH alterado?
Alguma coisa muita errada aconteceu, pois não existe nenhum histórico de falência renal na minha família, nem da parte do meu pai, nem da parte da minha mãe.

Bom se alguém se interessar por essa historia, e quiser discutir, estou a disposição, seja medico, seja alguém que esta com os mesmos indícios ou qualquer pessoa.

Vou contar uma historia...

A historia de uma menina, que há mais de dois anos, caiu da escada de sua casa, bateu as costas na quina do degrau, e apesar da dor, levantou e sem querer ir ao medico, foi para seu quarto, deitou para dormir, achando que no dia seguinte a dor iria embora.
Os dias foram passando, e a dor, ao invés de diminuir, aumentava. O que era uma dor aguda na região lombar foi descendo para as pernas.
O medo de agulha foi impedindo que a menina fosse procurar o médico, pois ela tinha certeza que receberia uma injeção para dor, e ficaria por isso mesmo. Então seguia otimista, ainda acreditando que a dor um dia passaria.
Depois de mais ou menos seis meses, como a dor não a abandonava, ela resolveu procurar um medico, e o que ela havia previsto aconteceu, foi atendida com frieza e descaso, levou uma injeção, e foi dispensada para casa, sem ter feito qualquer exame.
Passou mais algumas semanas, e a dor persistia, tentou novamente outro medico, com o mesmo atendimento artificial, a mesma ladainha e a mesma medicação. De duas consultas, pulou para mais de 10, sem nenhum diagnostico, apenas voltava para casa com uma receita de um antiinflamatório diferente, no qual, nenhum eliminava a dor.
Os seis meses viraram dois anos, a contagem de consultas mal sucedidas havia até se perdido, pois foram muitas, até que um dia, um médico no olhometro identificou uma anemia severa, pediu um exame de sangue simples e BUM, quando a menina percebeu, estava dentro de um carro, com sua mãe ao lado, indo para um hospital.
Os rins da menina já estavam atrofiados, foi para a hemodiálise, mas as dores ainda persistiam e com o passar dos meses, os movimentos dela começaram a se limitar, andar mais de 10 minutos viraria um martírio, dormir mais de 5 horas também.
Depois de nove meses fazendo hemodiálise, os médicos chegaram à conclusão, de que o problema dessa menina era o alto nível de PTH, o que eles não entendiam, era o PTH estar com mais de 1300 e o nível de cálcio estar sempre dentro do normal.
A menina que provavelmente perdeu seus rins ao menos dois anos atrás, conseguia sobreviver com a Uréia e Creatinina alta, e se não fosse o PTH talvez nem desconfiasse de que os rins haviam parado.
Seus exames como potássio e fósforo sempre foram normais, excluindo o fósforo que após a hemodiálise foi alterado devido ao Calcitriol, mas que já esta normal novamente.
Hoje a menina esta assim, andando muito pouco, dormindo muito pouco, produzindo muito pouco.
Uma menina que hoje tem 27 anos, que poderia estar trabalhando, ajudando a família, continuando seu trabalho como voluntária como fazia antes de se sentir mal, enfim, conquistando suas coisas, agora esta limitada, fazendo sempre pouco e dependendo de favores. Aguardando por um medico que se interesse pelo seu caso e investigue afinal o que aconteceu e como resolver.

Essa menina sou eu. Essa historia, é a minha.

Linha do tempo:
- Há uns 5/6 anos, fui diagnosticada com rosácea na pele, fiquei tão louca para melhorar, que tentei vários tratamentos (todos indicados por dermatologistas e nenhum ao mesmo tempo), primeiramente tentei loções no rosto o que nada adiantou, depois fiz um tratamento de oito meses com Roacutan, o que ajudou, mas não muito, nessa época, fazia exame de sangue mensal, e a única coisa que aparecia um pouco (bem pouco) alterada era o colesterol. Depois desse tratamento, fiquei mais uns sete meses tomando Minociclina, até que ajudou um pouco, mas a melhora estagnou e eu parei de tomar.
- Alguns meses depois, extrai os dentes do siso (foram os quatro, dois em cada vez em um intervado de 15 dias), pois sentia uma dor horrível nos dentes do fundo, mas depois de um tempo a dor continuou.
- Cai da escada, e foi quando as dores lombares apareceram.
- Meu pai, na mesma época que cai da escada, operou o coração, quando vi  ele saindo da sala de cirurgia, entrei em choque emocional, a partir daí as dores lombares aumentaram.
- A solução para dor de dente foi o tratamento de canal, no qual o dentista resolveu fazer, mesmo sem ter identificado o problema no dente, já que o mesmo parecia saudável. A dor era tão forte no dente, que eu batia a cabeça na parede, pois enlouquecia. Ao tomar a anestesia, eu sentia certa fraqueza no corpo, mas que passava rápido, não achei nada muito grave, então não comentei com o dentista. Pensava que a fraqueza na verdade era o medo de agulha que desde pequena tinha.
- Meses após o tratamento de canal, meus movimentos começaram a ficar limitados, andava pouco, pois sentia dores nos calcanhares.
- Me entupi de antiinflamatório, dado pelos médicos em cada consulta que passava. 
- Na ressonância magnética que fiz da coluna lombar, acusou apenas protusões.

Agora deixo algumas perguntas:
Perdi meus rins pelos remédios para rosácea?
Perdi meus rins pela anestesia que levei do dentista?
Perdi meus rins por ter caído da escada?
Perdi meus rins pelo choque emocional, ao ver meu pai entubado?
Perdi meus rins devido aos antiinflamatórios?
Aos meus 15 anos, fui diagnosticada com hipotireoidismo, e até 2006 (quando fiz o ultimo exame que lembro) os resultados estavam acusando o hipotireoidismo, esse ano, já fiz 4 vezes e acusou normal, o que isso significa?
Por que o PTH esta tão elevada e o cálcio normal? Eu sentiria esse tipo de dor, somente pelo PTH alterado?
Alguma coisa muita errada aconteceu, pois não existe nenhum histórico de falência renal na minha família, nem da parte do meu pai, nem da parte da minha mãe.

Bom se alguém se interessar por essa historia, e quiser discutir, estou a disposição, seja medico, seja alguém que esta com os mesmos indícios ou qualquer pessoa.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Bronca: Juventude IMBECIL

Primeiramente, gostaria de adiantar minhas desculpas, pela linguagem nesse post, mas não consigo controlar a revolta quando leio noticias como a que coloco abaixo.

Jovem que pingou vodca no olho pode ter que fazer transplante em Campinas (SP)

Um estudante universitário de 23 anos corre o risco de ter que passar por um transplante de córnea por ter pingado vodca nos olhos. O uso da bebida como "colírio" é uma moda que começou no EUA, passou pela Europa e chegou ao Brasil. Em Campinas (93 km de São Paulo), houve dois casos em agosto.

"Estava alcoolizado quando pinguei. No dia seguinte, quando voltei ao normal, pensei comigo: 'meu Deus, o que eu tenho na cabeça?'", disse à Folha o universitário, que não quis se identificar.

De uma família classe média-alta da cidade, ele estuda economia em uma faculdade particular. Diz que não quer que amigos e familiares saibam que o problema na visão ocorreu por causa da vodca.
O jovem contou que acordou no dia seguinte com os olhos vermelhos, irritados e "muito doloridos".
Batizada de "vodca eyeballing", a mania da vodca nos olhos preocupa oftalmologistas porque pode provocar danos irreversíveis e até cegar. O suposto motivo para o uso é aumentar a sensação de embriaguez.
O oftalmologista do Instituto Penido Burnier, de Campinas, Leôncio Queiroz Neto atendeu aos dois casos --ambos universitários.
Eles pingaram a bebida nos olhos em festas diferentes e não se conhecem.
"Depois de uma conversa inicial, eles contaram que haviam jogado vodca nos olhos. Eles disseram que conheceram isso pela internet e que queriam aumentar 'a viagem'", disse Queiroz.
No Youtube, há vídeos até com um membro da banda Detonautas Roque Clube pingando a bebida.

EFEITOS
Os estudantes começaram o tratamento há cerca de 25 dias -com cinco dias de diferença um do outro.
"Os dois pacientes me pediram para guardar sigilo, mas eu não poderia deixar de alertar outros jovens sobre os riscos dessa nova mania" afirma. A aparência é de conjuntivite, mas a lesão é mais grave, disse o médico.
Na opinião do oftalmologista, a prática oferece muito risco e o efeito é "mínimo". "No olho, só cabe uma gota de colírio e, portanto, só uma gota de vodca. Nem uma criança ficaria embriagada com uma dose tão pequena."
Os dois disseram que pingaram a bebida junto com vários outros jovens e que a aplicação está virando "moda" nas festas.

O estudante ouvido pela Folha falou que está com a visão turva e criticou a divulgação da moda na internet. Mas considerou sua atitude uma "burrice". 
(Fonte: Folha.Com)

Eu fico tão emputecida ao ler um absurdo desses. Como é que o ser humano tem essa débil capacidade de prejudicar tanto o próprio corpo? Caramba, não basta as doenças que existem por aí, onde mutilam o corpo, o organismo, o psico das pessoas, umas com efeitos tão rápidos que mal dá tempo de sentir, porem outras que vão definhando as pessoas ao longo dos anos, não basta isso, as pessoas ainda teimam em se acabar, com uma única razão, a razão de ser idiota o suficiente pra não ter respeito consigo mesmo.
Essa molecada irresponsável não faz idéia do que é depender de um transplante, não tem noção de como é ruim você viver cheio de duvidas, viver na insegurança, na espera, na consciência de que mesmo após um transplante, a dependência de remedios imunossupressores não melhora muito o quadro da nossa vida.
Esse Tico Santa Cruz (vocalista do Detonaltas que pingou vodca nos olhos), deveria ser preso, ou no mínimo multado, por ser uma pessoa publica que fazer algo assim e divulgar ainda por cima. Pessoas publicas devem ter na cabeça, que muitas outras vão se espelhar nelas, então cada ato que uma pessoa publica for tomar, deve ser pensado com cuidado.
Os indivíduos, que seguem essas modinhas medíocres, só para ficar dentro da turma ou para mostrar que é descolado (é quando o cérebro descola da cabeça e vai parar na bunda), só tem um nome, o de IMBECIL.
Eu sempre fui contra qualquer abuso ao corpo, seja beber demais, fumar, se drogar, e todas essas coisas que TODO MUNDO sabe que faz mal para saúde, mas mesmo assim continua fazendo. Eu antes mesmo de ficar doente pensava assim, meu corpo é meu templo.

Honestamente, se essa juventude for o futuro do mundo, que o mundo acabe em 2012.

Bronca: Juventude IMBECIL

Primeiramente, gostaria de adiantar minhas desculpas, pela linguagem nesse post, mas não consigo controlar a revolta quando leio noticias como a que coloco abaixo.

Jovem que pingou vodca no olho pode ter que fazer transplante em Campinas (SP)

Um estudante universitário de 23 anos corre o risco de ter que passar por um transplante de córnea por ter pingado vodca nos olhos. O uso da bebida como "colírio" é uma moda que começou no EUA, passou pela Europa e chegou ao Brasil. Em Campinas (93 km de São Paulo), houve dois casos em agosto.

"Estava alcoolizado quando pinguei. No dia seguinte, quando voltei ao normal, pensei comigo: 'meu Deus, o que eu tenho na cabeça?'", disse à Folha o universitário, que não quis se identificar.

De uma família classe média-alta da cidade, ele estuda economia em uma faculdade particular. Diz que não quer que amigos e familiares saibam que o problema na visão ocorreu por causa da vodca.
O jovem contou que acordou no dia seguinte com os olhos vermelhos, irritados e "muito doloridos".
Batizada de "vodca eyeballing", a mania da vodca nos olhos preocupa oftalmologistas porque pode provocar danos irreversíveis e até cegar. O suposto motivo para o uso é aumentar a sensação de embriaguez.
O oftalmologista do Instituto Penido Burnier, de Campinas, Leôncio Queiroz Neto atendeu aos dois casos --ambos universitários.
Eles pingaram a bebida nos olhos em festas diferentes e não se conhecem.
"Depois de uma conversa inicial, eles contaram que haviam jogado vodca nos olhos. Eles disseram que conheceram isso pela internet e que queriam aumentar 'a viagem'", disse Queiroz.
No Youtube, há vídeos até com um membro da banda Detonautas Roque Clube pingando a bebida.

EFEITOS
Os estudantes começaram o tratamento há cerca de 25 dias -com cinco dias de diferença um do outro.
"Os dois pacientes me pediram para guardar sigilo, mas eu não poderia deixar de alertar outros jovens sobre os riscos dessa nova mania" afirma. A aparência é de conjuntivite, mas a lesão é mais grave, disse o médico.
Na opinião do oftalmologista, a prática oferece muito risco e o efeito é "mínimo". "No olho, só cabe uma gota de colírio e, portanto, só uma gota de vodca. Nem uma criança ficaria embriagada com uma dose tão pequena."
Os dois disseram que pingaram a bebida junto com vários outros jovens e que a aplicação está virando "moda" nas festas.

O estudante ouvido pela Folha falou que está com a visão turva e criticou a divulgação da moda na internet. Mas considerou sua atitude uma "burrice". 
(Fonte: Folha.Com)

Eu fico tão emputecida ao ler um absurdo desses. Como é que o ser humano tem essa débil capacidade de prejudicar tanto o próprio corpo? Caramba, não basta as doenças que existem por aí, onde mutilam o corpo, o organismo, o psico das pessoas, umas com efeitos tão rápidos que mal dá tempo de sentir, porem outras que vão definhando as pessoas ao longo dos anos, não basta isso, as pessoas ainda teimam em se acabar, com uma única razão, a razão de ser idiota o suficiente pra não ter respeito consigo mesmo.
Essa molecada irresponsável não faz idéia do que é depender de um transplante, não tem noção de como é ruim você viver cheio de duvidas, viver na insegurança, na espera, na consciência de que mesmo após um transplante, a dependência de remedios imunossupressores não melhora muito o quadro da nossa vida.
Esse Tico Santa Cruz (vocalista do Detonaltas que pingou vodca nos olhos), deveria ser preso, ou no mínimo multado, por ser uma pessoa publica que fazer algo assim e divulgar ainda por cima. Pessoas publicas devem ter na cabeça, que muitas outras vão se espelhar nelas, então cada ato que uma pessoa publica for tomar, deve ser pensado com cuidado.
Os indivíduos, que seguem essas modinhas medíocres, só para ficar dentro da turma ou para mostrar que é descolado (é quando o cérebro descola da cabeça e vai parar na bunda), só tem um nome, o de IMBECIL.
Eu sempre fui contra qualquer abuso ao corpo, seja beber demais, fumar, se drogar, e todas essas coisas que TODO MUNDO sabe que faz mal para saúde, mas mesmo assim continua fazendo. Eu antes mesmo de ficar doente pensava assim, meu corpo é meu templo.

Honestamente, se essa juventude for o futuro do mundo, que o mundo acabe em 2012.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Resultado dos Exames...

PRE HEMODIALISE:
Hemoglobina: 10,2

Hematocrito: 29,8
Plaquetas: 129,000

Ureia: 106,2
Creatinina: 9,6
Ferritina: 1287,4
Calcio Ionico: 1,25
Fosforo: 3,2
Potassio: 4,3
TGP: 30
Ferro: 57
Fosfatase Alcalina: 365

Sat. Transferrina: 35
Proteina Total: 5,8
Albumina: 3,6
Globulina: 2,2

POS HEMODIALISE:
Ureia: 32,6


Resultado dos Exames...

Hemoglobina: 10,2
Hematocrito: 29,8
Plaquetas: 129,000


Ureia: 106,2
Creatinina: 9,6
Ferritina: 1287,4

Calcio Ionico: 1,25
Fosforo: 3,2
Potassio: 4,3
TGP: 30
Ferro: 57
Fosfatase Alcalina: 365


Sat. Transferrina: 35

Proteina Total: 5,8
Albumina: 3,6
Globulina: 2,2



PÓS HEMODIALISE:

Ureia: 32,6